ARTIGOS

Conheça Claudia do Valle

Conheça Claudia do Valle___

Em janeiro de 2000, Claudia do Valle Gonçalves ouviu de uma amiga:

– Por que você não faz os florais do Cerrado?

“O meu corpo vibrou, todas as minhas células vibraram em música. A música tocou dentro de mim”, lembra ela, que na época visitava a Chapada dos Veadeiros pela primeira vez.

Alguns dias depois estava de volta a Curitiba, onde nasceu e morava até então, pronta para seguir seu destino. “Quando ouvi aquela pergunta, eu não tive nenhuma dúvida. Eu tive certeza de que era o que eu iria fazer da minha vida. Havia encontrado a essência do meu propósito, pois bateu fundo na minha alma, foi tanta alegria”.

Propósito: Eu estava em um momento em que perguntava para a existência o que vim fazer na Terra. Por que vim? Pra que estava viva? Sentia que deveria fazer algo de significante na minha existência. Se não fosse assim, a vida não faria sentido.

Aos 17 anos, entrou em contato pela primeira vez com os florais de Bach. Leu sobre eles em uma revista e foi até uma farmácia especializada se consultar e conhecer as essências. Ao experimentar os florais se surpreendeu pela clareza e discernimento que trouxeram.

Logo em seguida, sua mãe foi até a Inglaterra visitar a casa do Dr. Edward Bach e trouxe quatro kits de presente. Claudia comprou livros, começou a pesquisar e a usar, em si, amigos e familiares próximos.

Em paralelo, a vida seguia em Curitiba, cursava faculdade de psicologia. Fez estágios em clínicas e hospitais psiquiátricos, onde trabalhou com pacientes alcoólatras, adictos e esquizofrênicos. Montou um instituto de ensino chamado Klein do Valle, onde promovia cursos voltados a esses temas.

Um dia conheceu Nélida, uma mestra que inspirou a criação de um grupo de estudos e aprofundamento do ser. Este grupo montou um trabalho planetário com a Chama Violeta. Durante 17 anos, Claudia e algumas amigas se reuniram para estudar, pesquisar, trabalhar o autoconhecimento, estudando sobre chakras, energias, terapias e sabedorias de outras civilizações. Em todos os encontros, Claudia foi responsável em levar as essências florais. Pesquisava diversos sistemas e levava as essências adequadas para os trabalhos a serem realizados.

Aos 28 anos, decidiu deixar a psicologia e fechou o Instituto Klein do Valle. Abriu uma confecção. O inconsciente bradava, pois, as roupas tinham estampas, sempre de flores. O propósito já se expressava.

Após dois anos trabalhando na confecção, foi à Chapada dos Veadeiros pela primeira vez. Quando ouviu a pergunta sobre os florais do Cerrado, não teve a menor dúvida: fez uma liquidação na confecção em Curitiba, trocou de carro e preparou tudo para voltar a Alto Paraíso de Goiás, na Chapada, onde começaria seu processo de aprendiz da Mãe natureza, com as flores e belos campos de Cerrado, mesmo sem um conhecimento prévio da vegetação do bioma.

Antes da viagem, entrou em uma livraria e puxou um livro aleatoriamente da prateleira. Era uma obra de Diane Stein, que ensinava a produzir essências florais com pedras e cristais. “Quando entramos na frequência do propósito, tudo vem ao nosso favor. É como mágica! As sincronicidades acontecem no caminho”.

Já em Alto, em um passeio pela cidade, viu uma flor vermelha em um terreno baldio. Linda. Foi até ela e a experimentou, a flor soltava um melzinho. Quando sua boca o tocou, o seu ser centrou, o coração tranquilizou e a cabeça se abriu. Foi seu segundo contato com a flor que seria a expressão do seu sistema: a Calliandra. Assim que a viu, lembrou que já havia sonhado com ela, sem nunca tê-la encontrado presencialmente. Calliandra foi sua primeira canalização. Ela abriu as portas das essências dos florais do Cerrado. Foi o nascimento do primeiro floral.

Em 2020, Claudia do Valle está há 21 anos na Chapada dos Veadeiros pesquisando e produzindo florais do Cerrado. Criou um sistema com 160 florais minerais de flores – entre silvestres e adaptadas – 23 gramíneas, 52 matrizes de essências de nascentes e cachoeiras e 11 elixires de cristal, além de uma incrível perfumaria vibracional.

Ministrou mais de 35 cursos neste período e criou, além do sistema Florais do Cerrado, um Sistema de Florais Maya Vibracional e um Sistema de Entrelaçamento Quântico que trabalha a verticalização por meio de florais e mantras.

Trabalha com profunda alegria e gratidão por seu legado de trazer a luz das essências para a consciência, tornando-as instrumentos para transformações das emoções, da mente e dos corpos sutis e, assim, prevenindo doenças do corpo físico. Claudia encontrou seu propósito. Podemos ouvir suas células vibrarem e a música que toca dentro de seu ser.

Leia também: O que são os Florais e como eles atuam.

Compartilhar Artigo